you really happy?
Uma hora a gente tem que olhar nos olhos dos medos. E andar pra frente. Sem atalho, sem muleta, sem abrigo. Porque a vida é o que acontece no intervalo dos nossos medos. Eles nos petrificam, nos transformam em múmias. É só quando a gente acorda, anda, se mexe, manda eles embora que a vida de fato surge pelos buracos da fechadura.

Posted Há 3 horas with 1.120 notas
originally d-r-e-a-r-y


Posted Há 3 horas with 7.146 notas
originally dianostalgico


Posted Há 3 horas with 1.289 notas
originally worldfam0us


Posted Há 3 horas with 5.470 notas
originally mardoluar


Posted Há 3 horas with 81.769 notas
originally nevou



Posted Há 3 horas with 81.788 notas
originally tsurubride


Posted Há 3 horas with 25.149 notas
originally leticiajosephine


Posted Há 3 horas with 1.392 notas
originally treinadda


Posted Há 3 horas with 57.842 notas
originally e-pi-de-mic


Posted Há 3 horas with 21.390 notas
originally surealists


Posted Há 3 horas with 6.151 notas
originally tempuros

Vou contar um segredo: Não dormi a noite inteira, estou virado. Mas xiu! Ninguém precisa saber além de mim e você, estamos combinados? Espero que sim. Por favor, não entenda mal, tentei dormir. Revirei na cama, contei carneirinhos, eles me contaram. Nós rimos juntos. Eu disse que sentia saudades e pedi que não espalhassem. E quer saber? Eles são ótimos com segredos. Levantei e contei as estrelas do céu, mas não deu certo. Sentei e li um livro, mas nada de sono também. Uma coisa curiosa sobre a noite, é o silêncio natural que surge dela e a forma mágica que ela tem de fazer com que as lembranças nos invadam. Quando percebi isso… chorei. Não um choro comum, e sim aqueles que vem de dentro. Lágrimas que escorrem pelos olhos, porém foram derramadas pelo coração. Estranho e sem sentido isso, né? Mas depois de rir com carneirinhos, o que faz sentido então?
Allax Garcia.  (via inverbos)

Posted Há 2 dias with 25.880 notas
originally allaxg


Posted Há 2 dias with 50.931 notas
originally classificar


Posted Há 2 dias with 10.967 notas
originally a-t-o-m-i-c