you really happy?
Uma hora a gente tem que olhar nos olhos dos medos. E andar pra frente. Sem atalho, sem muleta, sem abrigo. Porque a vida é o que acontece no intervalo dos nossos medos. Eles nos petrificam, nos transformam em múmias. É só quando a gente acorda, anda, se mexe, manda eles embora que a vida de fato surge pelos buracos da fechadura.

Posted Há 17 horas with 1.099.033 notas
originally black-and-white-gifs

Machucamos com a voz,
mas para torturar mesmo só com o silêncio.
Fabrício Carpinejar.   (via enoitecer)

Posted Há 17 horas with 5.615 notas
originally racionador




Posted Há 17 horas with 127 notas
originally trueyoungblood




Posted Há 17 horas with 31.161 notas
originally evanescer-r

O amor não é coisa que se possa pedir a alguém.
O Diário de Anne Frank.  (via delator)






Posted Há 17 horas with 781 notas
originally liveyourownlife-smile

Todo ano, sempre que ligava no meu aniversário, meu avô me perguntava o que eu queria ser, quando crescesse. Em 1988 eu respondi “batman”; em 1991, “bombeiro”; em 1995, “ponta-esquerda do Grêmio”; em 1997, “astro de rock”; em 1999, falei “drag-queen” (em minha defesa, estava passando por um momento meio confuso, que já passou); e, em meados de 2000, eu desisti de todo aquele papo e respondi que só queria ser livre. Ele resmungou no telefone que era bobagem, isso de ser livre. Ninguém é livre. Eu tentei expor minha ideia, mas ele tapou os ouvidos e gritou alto lá-lá-lá – o grande superpoder de um avô é dizer o que bem quiser e só ouvir o que lhe convém. E eu fiquei magoado porque, bem, o que mais sabem fazer os adolescentes, além de remoer mágoas o tempo todo?
Gabito Nunes.  (via apagou)

Posted Há 17 horas with 2.536 notas
originally cuidei